domingo, junho 02, 2013

Assobio, bio, bio...

Talvez tenha alguém aí fora que, como eu, está cansada de procurar expressão num mundo tão desencontrado.
Cansada de ver os sorrisos falsos e as intenções volúveis.
Pessoas volúveis.
Talvez num lugar, não muito distante, tenha alguém que veja para toda a hipocrisia e interesse e saiba que não se encaixa também...
Que espera encontrar a mão de alguém que só queira um chocolate e uma boa conversa, que pare 5 minutos por dia pra pensar em sorrir só por sorrir, não porque é bonito, não porque ganhou um presente, não pra impressionar alguém...
A única coisa que a vida nos pede são sorrisos, apesar que sempre pedimos tanto dela.
Estamos sempre inconformados com a forma como a vida é, mas as pessoas se esquecem que, no fundo, não podemos exigir nada de ninguém.
Então eu espero, com muita esperança e com bastante pressa, mas sem reclamar. Não procuro um namorado, não procuro o amor... O amor é tão volúvel hoje em dia...
Procuro um chocolate e uma boa conversa, nem que seja com uma doce garotinha de 4 anos que gosta de imitar o som dos pássaros.
Parece que hoje em dia até as crianças não são livres de verdade.
Mas nunca com desesperança, e nunca com raiva...
Afinal, a culpa não é de ninguém se eu não peço nada.
A culpa não é de ninguém se eu só dou meus sorrisos...

terça-feira, março 26, 2013

Amor desprendido.

Tenho um motivo bastante egoísta pra acreditar em Deus.
Infelizmente, tenho, entre tantos outros aqui dentro (aí fora, por todo lado).
Acredito em Deus porque acredito que algo existe nesse mundo que possa me amar verdadeiramente, completamente, um sentimento que eu posso me entregar sem receios nos momentos mais tristes e também nos mais felizes da minha vida. Principalmente nos extremos, porque eu sou cheia deles...
Eu olho pra cima e penso: Deus, eu também te amo. E peço muito que o amor dEle por mim nunca se acabe, porque no fundo eu sou só mais uma pessoa carente perdida no meio de um mundo de pessoas que só querem cuidar dos próprios sentimentos, pessoas que nunca me entenderão, pessoas que nunca me amarão do jeito que sou.
E aí eu choro mais um pouquinho, e rezo... Rezo pra eu sempre estar com Ele comigo, rezo pra Ele sempre me ajudar quando preciso, porque no fundo, quando a coisa aperta, só Ele estende a mão sem preconceito, sem dúvida, sem medo, sem sermão, sem nada... Ele só se preocupa comigo da forma mais pura que existe, e se um dia eu quis mudar meu jeito de ser, foi só por Ele, pra não me sentir indigna disso, pra não me sentir tão egoísta quanto eu sinto que os seres humanos são.

domingo, novembro 04, 2012

Amiga do vento

Estou numa fase tão complicada.
às vezes bate aquela solidão doida, e sinto como se o mundo fosse me sufocar... A vontade é de colocar o que não importa numa mala e sair por aí, sozinha...
Mas o que importa ficaria aqui, e eu choraria tanto, por tantos dias que dói só de pensar.
Talvez seja culpa do vento, que sempre foi meu amigo, mas de tanto que passei tempo com ele, ele encheu meu coração da poeira que ele carrega, e agora tem um montinho negro dentro de mim...
Queria poder limpar meu interior... Fazer uma faxina e trocar de lágrimas, estocar mais sorrisos verdadeiros e me desapegar das agulhas sentimentais que vão não vão caem das caixas antigas de lembranças só pra espetar meu coração.
E a poeira cobre as caixas, mas não desaparece com elas, só as marca contra as paredes brancas do meu futuro.
Ou seriam paredes verdes?
Eu só queria dançar um pouco, amar um pouco, sorrir um tanto e desapegar de tudo que não é bom...
Também queria que o que não é bom não brincasse de brincar comigo, porque já o disse uma vez e digo outra: Nunca te chamei, nunca te ouvi...
Então como restos de borracha que insistem em povoar uma página branca limpinha, fico eu a espantar todo o mal, toda a tristeza, tudo de ruim.
Sei que nunca ficará branco, pois eu estou sempre a escrever, errar e assim apagar com força. Sou assim, apago com força pra não deixar nem as marcas, por isso é tanto farelo de borracha.
Mas o lado bom? É que de tanto re-escrever por esse meu costume de apagar muito, já fiz muitas pontas, e estou cheia de pedaços de lápis.
E com ele faço o quadro da minha vida. Do que eu fiz pra escrever, que pra mim é sempre maravilhoso. Porque eu não me arrependo do que fiz, só me arrependo do que aconteceu.
Na verdade, nem isso. Não há arrependimento afinal. Só meu sorriso banhado à lágrimas.
E o amor que eu sinto pelo vento, meu amigo que insiste em bagunçar meus cabelos.
Porque eu sou dessas, dessas que é feliz e nunca tem o cabelo arrumado. Sou dessas que o vento desarranja sempre, sou dessas que vive as luzes, a vida e as cores, mesmo as calmas.
Sou dessas que ama. E que quando ama...
Mas a fase complicada, que no fundo talvez não seja uma fase, é complicada.
Queria poder juntar todo o amor que tenho por todos num pote, e sorver ele a poucos goles sempre, numa infusão contínua de vida, isso tiraria toda a tristeza...
Ou talvez eu só não saiba lidar com tristeza.

quinta-feira, maio 17, 2012

J

Eu te amo.
Vou te amar pra sempre, como eu prometi.
Mas não posso mais deixar que seu amor por mim estrague seus dias.
Você vai ser mais feliz sem mim, eu sei.
Vou me arrepender diariamente disso que fiz hoje, mas a cada sorriso seu tudo vai ficar perfeito de novo.
Eu te amo, eu te amo, eu te amo...
Me dou o direito de dizer isso aqui, mas nunca a você, porque eu te conheço...
Eu te amo demais!
E é por isso que estou te deixando partir.

quarta-feira, abril 11, 2012

Dor

Meu peito se enche de soluços não sofregados, meus olhos se enchem do vazio que eu coloco, pra evitar que as lágrimas caiam. Muitas, quentes, amargas, doídas.
Às vezes esse vazio se solta, e os soluços se libertam, quando eu não consigo colocar tudo dentro de mim.
Tem algo de muito horrível pra mim viver na rotina. Não nasci pra isso.
Eu sou um cavalo livre nas pradarias, e cada dia disso está me matando.
Eu não consigo entender como pessoas que nem sabem quem sou têm tanta raiva de mim... Eu nunca fiz nada a elas.
Eu não sei quanto vou aguentar, se vou aguentar...
Espero que esse não seja meu adeus. Se for, será demasiado patético. Eu sempre fui a triste dramática, em contrapartida ao meu desprezo corriqueiro pelo drama.
Meu eu comum odiaria essa despedida com drama. Faria algo mais simples, que nem soasse como uma despedida, como um sorriso alegre, o que eu sempre uso como máscara. Diariamente.
Eis que eu percebo que às vezes sua alma é esmagada por coisas que você não pode nem deve evitar. Minha alma... Minha alma que sempre foi meu orgulho...

quinta-feira, dezembro 15, 2011

Inadequada.

E toda vez que você fala comigo eu me sinto assim...
Como se estivesse usando os sapatos errados, como se minhas roupas fossem largas ou coladas demais, como se o meu xadrez não fosse o suficiente pra sua estampa floral...
E às vezes eu só tenho vontade de sair correndo, chorando... Mas você me chamaria de fraca.
Eu me sinto presa à você, como se só a sua presença me deixasse desconfortável.
Não tinha que ser assim, sabe? Você deveria me amar pelo que eu sou, e não pelo que você queria que eu fosse... Afinal parece que existem pessoas que me amam desse jeito, mesmo errada, banal, tola, infantil, feia, desarrumada, desorganizada...
E é como se você me culpasse por algo que eu nunca fiz... Às vezes eu acho que você é que deveria crescer, deveria me proteger, e não o oposto.
Se você me odeia, me deixe, senão, me aceite como eu sou.
Mais do que ninguém, é você que devia me apoiar, mas só faz com que eu me sinta mais deslocada em meu próprio mundo...
Não tenho ninguém a quem chorar... Deveria ser você.
E eu penso o quanto patética e miserável devo parecer pra você... Queria que você parasse com isso, parasse de me magoar sempre que pode...
Então eu choro... Choro e rezo pra um dia me ver livre do pesadelo.

quarta-feira, dezembro 07, 2011

Sobre coelhos e gatos

Eu tenho um coelhinho lindo, de pêlo macio e olhinhos brilhantes...
Meu coelhinho é tão meigo! Quando eu estou triste ele vem me fazer compahia, mostrando seus dentinhos pra me fazer sorrir mais uma vez...
Uma vez eu fiquei brava com o coelhinho, mas bastou olhá-lo com aquela expressão fofa e tristinha... Aquele bico lindo que ele estava fazendo que eu me derreti...
Então eu me aproximei do meu coelhinho e fiz a única coisa que devia: rocei meus dentes em sua pele, e senti que ela se arrepiava forte, então me aproximei mais e esfreguei meu pêlo no dele, e senti que ele também se derretia...
Quem disse que uma gatinha não pode amar um coelhinho fofo?
Afinal, o coelhinho é tão gatinho e meigo...
E quando o seu sorriso me faz sorrir mais?
E quando de repente você diz algo perfeito, que alegra meu dia de uma forma tão complexa que é insano pra mim?
E quando até seus defeitos são fofuras, porque no final você não tem defeito...
Não são defeitos porque quando eu estou com você eu simplesmente não me importo com nada.
E você também naõ liga para os meus... E olhe que são muitos...
E no fundo você é meu... Meu vários apelidos, porque eu te amo tanto que tenho vontade de te abraçar com força e te chamar de todas as coisas fofinhas que eu conheço...
Porque você é como todas elas e mais algumas!

domingo, novembro 20, 2011

Fallen

E havia um tempo que eu escutava essas tolas músicas românticas e pensava se um dia eu encontraria alguém que me entendesse... E tudo parecia enevoado, triste e solitário...
Agora você está comigo, e parece que tudo está onde deveria estar. Quando eu digo que te amo, você não deve entender quanto, ou porque, mas eu sei, e é mais um de meus segredos...
Um dia eu olhei para você e fiquei feliz de você estar presente em minha vida de alguma forma, e hoje eu sou feliz de tê-lo só pra mim, é egoísmo demais para você suportar?
Há algo diferente em mim, uma vontade louca de estar contigo, mas ao mesmo tempo a consciência que talvez seja tudo uma ilusão, talvez seja o meu medo... Mas no fundo eu sei que é você, e se não for você, não é mais ninguém.
Quando alguém fala comigo, sorri comigo, quando vejo um casal se beijando... Só penso em você e no agora, porque o futuro a Deus pertence (e o meu pertence a você).
A única coisa que falta é você aqui, pra me abraçar, pra me fazer sentir que isto é mais real ainda do que eu imagino... Pra eu saber que é pra sempre, pra sempre sua.