terça-feira, dezembro 29, 2009

Suficiente

A vida de repente parece tão simples, simples demais, tanto que me sinto sufocada. Não que eu queria que fosse complicada, pelo contrário, a vida que eu desejo é tão mais comum do que a que eu vivo no momento. Sinto falta de alguma coisa, que eu sei o que é, só não sei como consegui-la. Eu quero isso, eu ndesejo isso mais do que já desejei qualquer coisa, a ponto de doer, a ponto de nada mais fazer sentido, a ponto de me sentir vazia e triste sem isso.
Nada pior do que essa sensação, a sensação de o que você deseja estar tão longe quanto possível, e que por mais que você tente, não cabe a você ter, que depende de alguém para você conseguir e que por mais que você espere, a pessoa simplesmente não vê que você está precisando da ajuda dela. Não vê ou simplesmente não se importa o suficiente.
Sinto falta da época que eu me sentia completa, que tudo que eu já tinha bastava, mesmo que eu ainda quisesse outras coisas, hoje é diferente, não sou eu que escolho mais.
Quem diria, quem roubou muitas vezes, hoje está precisando muito daquilo que roubou.
Quero ir ver a bruxa, quero andar pela estrada cor-do-sol e quero que ela me dê o que eu tinha de volta.
Mas não existem feitiços que me tragam o que eu quero, e os contos-de-fada não me dão tanta esperança mais.
Nada pior do que se sentir tão vulnerável e sozinha do que jamais se sentiu. Tão complicado ninguém entender o que sinto. Tão solitário. Na verdade, creio que seja melhor asssim, estar assim, solitária, já que eu não preciso que ninguém realmente se preocupe. Não é uma coisa que vai passar tão rápido, nem indolor.

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Música

Música, instrumento poderoso para nos fazer sentir diferentes coisas,
truque da vida para nos fazer sentir o que ela quer que se sinta
imaginar com "maid with the flaxen hair"
sorrir com "lucky", da Colbie Caillat e do Jason Mraz,
dançar com a "bicicleta" d'Us Kara
amar com todo o amor do mundo ao ouvir doces e bobas músicas românticas
sentir a falta de quem se ama quando as escuta e ele/a não está por perto
sentir-se livre, aventureira e poderosa com techno-chick
sentir-se legal e descolada escutando swingueira
vontade de cortar os pulsos do cantor da música emo
vontade de pular muito com hardcore
alegria de viver ao escutar "carinhoso"
sentir-se criança de novo ouvindo backstreet boys ou hannah montana(as músicas bobas de um seriado idiota)
e eu me pergunto o que o mundo seria sem música
sem a batida ritmada de pés e mãos e braços e corações
sentindo coisas diferentes com a mesma mmúsica
e sorri pra mim
sorri, Vida, ri e encanta, enquanto canta a doce melodia sua.
sua doce melodia que fascina
perscuta pela sua voz nos ventos
e no chacoalhar dos rios seu requebrar e me encanta.

domingo, dezembro 06, 2009

Descobrir-se e amar-se após uma violenta mudança de vida é complicado, muito.
Retirada da batalha, derrota, falta de ânimo, baixa-estima. Quem nunca passou por isso na vida é felizardo, afinal.
Nessas horas olho para trás vejo tudo o que consegui, todos que me admiram, me amam e querem o meu melhor. Percebo que não sou uma pessoa tão ruim quanto eu pensava...
Me descubro a cada dia, e me impressiono com o que eu sou, com o que me tornei, com as minhas perspectivas e o modo como trato as pessoas. A cada dia mudando(pra melhor eu creio), na esperança que a vida cpntinue me amando do mesmo modo que eu a amo. Respirando ar puro de um dia de domingo, na expectativa de que cada pulsar seja mais forte e ritmado do que o anterior.
É isso que eu anseio das pessoas que estão a meu redor: um sorriso no rosto, a cara pra lavar depois de uns bons beijos meus(sou de beijar muito meus amigos), alegria quando eu elogiar ou quando eu chamar de apelidos carinhosos(isso vai pra todos meus amigo[a]s) e doidos(que eu invento aos bocados), abraços e mais abraços, desculpas quando eu gritar de empolgação(sou meio histérica quando estou com saudades) e muitos, mais muitos beijos mesmo, que meu coração pulsa por essas pessoas queridas.
"Descubra-se a fim de expressar-se", estou me expressando e me descobrindo ao mesmo tempo, do meu jeito. Caso não goste de mim, é uma pena, pois, modestamente, sou uma boa amiga(fiel, sincera). Não se prive da felicidade só porque tem medo de viver a vida, porque a vida é de graça e felicidade também.
Mudando é como estou agora. Nunca havia mudado tanto em minha vida. Estou mais calma, mais feliz, mais intensa, mais despreocupada, mais carinhosa/dosa, o meu eu que eu não era há tempo demais.
Não se preocupem comigo, porque desta vez estou no caminho certo, e é aí que eu pergunto ao leitor: Você está mais você? Você está no SEU caminho certo?
Ultimamente muito filosófica, introspectiva e expansiva(ao mesmo tempo),
Blogueira de novo(ALELUIA!)
Borboletas para sempre...