quinta-feira, outubro 21, 2010

Animaizinhos! *_*

Quando eu pareço me esquecer quem eu sou, as pessoas me fazem questão de lembrar...
Nunca vou me esquecer do meu primeiro passarinho, de como chorei quando ela morreu, ela era tão linda e azul... E foi tão marcante que esta deixou de ser minha cor preferida...
Eu acho que eu sou muito boba, sabe?
Sei lá, eu sempre espero que um dia eu vá crescer e deixar de ser coração-mole e moleca... Mas uma pequena parte de mim, que é briguenta e bate mais forte que as outras, quer que eu continue assim, me lembrando das penas fofas daquele pelouquinho(é assim que se escreve) que mal sabia piar...
Que se lembra de cada "papinha" que teve que fazer pra cada um dos peloucos subseqüentes, e de como eles nascem peladinhos e sem saber mastigar, do papo transparente deles, e como cada um tinha apenas um dedinho mínimo de comprimento, mesmo naquela época que meu dedo era menor, cada piado triste e lamentado porque a mçae não sabia alimentar. E lá íamos eu e minha mãe ficar meia hora dando comida no conta-gotas beeem devagar e depois ficar massageando o papo até eles digerirem direitinho, depois enrolar eles num paninho e botar de volta, e ficar mais uma hora vendo se a mãe não rejeitava os coitados... Ou quando foi a Poli que era aleijadinha e tínhamos que ensinar ela a se virar na gaiola cheio de bichinhos violentos... Ou quando eles cantavam pela primeira vez... Cada asa machucada com trocas diárias de curativo e sanativo, cada gripe ou tosse e tratamento com folhinhas medicinais, cada desequilibrio de cálcio e as doses matinais deste... Eu amava cada um deles, e chorei em cada morte...
Eu sou uma boba mesmo...
Mas sabe o que me faz ser tão boba?
Porque eu consigo amar de verdade tudo que é vivo (vivo de todas as formas) neste mundo lindo...
Não tenho muita esperança nas pessoas, pois sei que a maioria está muito preocupada sendo imbecil pra ver algo além do umbigo, mas o reino animal é utópico pra mim, ao menos na forma em que ele se desenha (porque essa é a palavra certa, por ser tão profunda e bela) em suas virtudes...
Termino isto com uma foto que quer dizer tudo o que disse aqui...

Estrelas

Ela anda pela cidade com o mp3 no ouvido, escutando aquelas músicas que sempre fazem ela chorar...
Ela passa pela praça e se senta num banco velho e sujo pelo tempo, mas ela não se importa, nunca se importava com aparência quando não tinha ninguém por perto...
Olha os brinquedos e se lembra de uma época mais simples, fica encarando aquilo como se fazendo isso com muita força e concentração, pudesse voltar no tempo, ou ao menos resolver alguns de seus problemas. Enão o vento bateu em seu rosto, frio, seco e cheio de poeira, e tossindo percebeu que era bobagem...
Deitou-se no banco, olhando as estrelas... Sabia que era perigoso demais ficar ali àquela hora, mas ela também nunca se preocupou com isso... Via que as estrelas daquele céu estavam desaparecendo com o tempo, com o crescer da cidade, e ela gargalhou da ironia... Como ela, a cidade crescia, e ficava mais estranha e sem brilho.
Queria ver as estrelas de novo, então ela fechou os olhos, e pediu que algo a levasse dali, lhe trouxesse quem era de volta... Às chongas o mundo idiota que tinha feito ela daquele jeito, às chongas ela que tinha se deixado levar...
Ela só queria aquela garotinha de volta, e queria que o cheiro de verde e o frio da noite matasse tudo estranho que agora havia dentro dela, mesmo que aquilo a matasse, porque ela não sabia mais quem era, e isso pra ela era pior do que qualquer coisa...
E ela se levantou e foi embora, tão logo viu que tudo continuava igual, e que cada minuto a mais que passasse naquela praça, mais ela se sentiria mal...
Coçou os olhos que ficaram algum tempo fechados e sentiu algo molhado... Lágrimas... Ela sorriu, um dos seus grandes sorrisos, apesar de ter um toque de amargura, que agora parecia presente eternamente na sua vida... Riu porque em algum lugar no fundo, ainda tinha um pedacinho daquela garotinha... Pena que ela não conseguia alcançar tanto quanto desejava...
Perdeu-se no caminho, e nunca mais encontraria a garota que chorava e chamava por ela. Queria correr, mas tudo que sabia fazer era sorrir daquele jeito mentiroso. Abraçar daquele jeito imperfeito e chorar profundamente por coisas irrelevantes.
E voltaria a ser aquela mullher sem-graça de sempre, com sua vida complicada e feia, assim como o céu sem estrelas daquele parque...
Pensando nisso foi embora, deixando cheiro de flores no ar, e uma saudade inexistente porque parecia que havia se congelado, e pra ela, nada importava mais de verdade há muito tempo...

terça-feira, outubro 19, 2010

Cafageste.

Homens podem ser tão cachorros quanto dizem...
Explicação:
Conheci um carinha bem legal, divertido e tudo aquilo...
Começamos a conversar no msn e por msgs, tudo sempre divertido e flertivo...
Confesso que ficava achando que não estava dando valor o suficiente porque não GOSTAVA dele... Ele só era um cara bonito e divertido, sempre conversávamos bobagens simples, mas era, pra mim, tudo muito superficial. Não que eu o achasse superficial, mas simplesmente não queria algo muito profundo com ele... Ele era um carinha divertido que me fazia rir, e ele sabia disso... Me pediu algumas vezes pra sair comigo, tomar um sorvete, o que em linguagem de paquera nunca significa só tomar um sorvete... Sou inocente, naum sou completamente tapada...
Num dia fatídico dessa semana eu estava olhando algumas coisas na internet que temos em comum, alguns sites que nós somos inscritos e talz...
E num deles, o qual eu sabia que ele tinha mas nunca tinha pedido o nome de usuário, eu descobri que ele tinha namorada!
E a coitada era super fofa, delicada, pelo menos pelo que eu vi dela nos sites... Ela não é a menina mais linda da Terra (não que eu também seja) e se eu visse os dois na rua provavelmente pensaria algo como "ela deve ser bem legal, porque não é muito bonitinha" (de certa forma dando mais valor à aparencia para a inclinação dele por ela) (tá, posso estar sendo metida, na verdade nem tem como alguém saber porque não estou dizendo o nome do gajo, mas eu acho que somos igualmente bonitos) (se eu me considerar bonita) (sem mais delongas...), mas simplesmente quero acreditar que isso não foi o motivo pra ele estar pulando cerca tão lindamente...
Em resumo: Ele continua a me convidar pra sair, ela continua não sabendo de nadcom pena dela, e comecei a ignorar e ser fria com ele no msn...
Simplesmente eu acho ridículo botar gaia. Ponto final. Eu não sou santa, eu já namorei e talz, e já senti vontade de ficar com outra pessoa durante. Na verdade foi a pessoa que eu mais senti vontade de ficar em muito tempo. Mas eu não sou egoísta o suficiente pra magoar outra pessoa apenas pela facilidade da situação, porque é isso, facilidade. É difícil E complicado E confuso terminar com alguém porque está a fim de outra pessoa, e resistir às tentações de ficar com alguém que você se sente muito atraído por causa de outra pessoa. Mas viver é isso, é saber que nem sempre o mundo gira no seu umbigo e que magoar alguém TE machuca pro resto da vida...
Sempre se assustando com a capacidade infeliz do ser humano...

Borboletas para sempre,
Lívia.

Novelas e seu proveito real...

É, eu estou sem tv a cabo...
Por este motivo, andei quase-vendo (quase-vendo porque eu sempre estou no computador) uma novela... Acho que devem conhecer... TiTiTi (acho que é assim que escreve). Bom, eu só vejo ela porque um dia eu tava no computador (quase-vendo) e passou um desfile (eu acho) e tinha uns vestidos beeeem legais... Não sei se exprimo meu amor pela moda e desfiles e tudo relacionado o bastante no blog, mas eu so viciada em moda...
Eu achei os vestidos muito bonitos, queria saber quem os desenhou na vida real, porque bem que eu queria comprar um deles (oh, sonho!).
Resumindo... Como eu digo, novela é uma droga, mas de vez em nunca há alguns 30 segundos produtivos por dia, ou semana, ou (em algumas novelas) nunca...

Borboletas para sempre,
Lívia.

Obs: O episódio que falei foi o do dia 18/10/2010, pra quem quer ver o desfile (?) que eu falei...

segunda-feira, outubro 18, 2010

Sobe no salto

Ela abriu a porta do carro e ajeitou a sandália, antes de sair deu uma segunda checada no lápis de olho...
Aquele fim de semana tinha sido decisivo, ela deixara a menina boba pra trás. Agora era uma mulher decidida.
Ela sabia o que queria, ou achava que queria, então tirou quase toda a maquiagem m casa e deixou apenas o lápis...
Chegando lá continuou se sentindo como antes, sentiu sua auto-estima chegar no teto da sala. Distribuiu sorrisos e recebeu vários em troca, principalmente da população masculina do café.
Ela sabia que ele sempre ia ali, e gostava disso...
Então sentou-se, minimamente maquiada, pouca mas sensual. Shorte, blusa, cinto, sempre na moda, e agusava um leve toque de mistério e transbordava sensualidade.
Ela quando o viu fingiu que não o viu, e apenas passou o olhar. Cumprimentou outros caras, comeu e leu revistas, sempre casualmente, interessada nelas, mas já era do jeito dela não perder a pose...
Um cara ficou encarando ela, o mesmo que normalmente olhava de soslaio, ela riu e sorriu pra ele, ele pareceu se derreter ao seu sorriso e por pouco não se levantou pra falar com a desconhecida. Por pouco era a menina desconhecida que estava na mesa com ele hoje, ambos de mãos dadas.
Depois quando ela e seu alvo inicial se levantaram, eles se cumprimentaram e ela falou com ele...
Ela não percebeu nenhuma mudança do lado dele, mas ela sabi que alguma coisa havia mudado nela, algo importante e visível a todos. E, sabe de uma coisa? Era isso que realmente importava pra ela...

segunda-feira, outubro 11, 2010

Complicado

Acho que viver se define em uma palavra: Complicado.
Principalmente pra mim, que acho que inconscientemente, invento de complicar mais ainda tudo, até as pequenas coisas...
Não sei se é algo inerente a mim, ou se talvez são as minhas escolhas, mas a cada dia que passa me sinto entrando mais numa teia. Me prendo, me enrosco e me grudo mais e mais no destino inevitável e indesejado de uma coisa que eu não escolhi, e tudo que eu escolho, como a Alice correndo atrás do coelho branco, cada vez mais longe, por escolha do próprio coelho...
Acho que o problema foi terem me dito uma vez: Você escolhe seu próprio destino.
Me perdoe, mas quanto mais o tempo passa, mais eu percebo a mentira nessa frase, mais me magoa que, cada vez que eu escolho algo que quero, aquilo se torna mais idílico, e eu penso que há algo de errado comigo, muito errado.
A pior parte do mundo é que nada acontece como se espera, e a vida nunca depende de você. Então só podemos nos esforçar sabendo que nada sairá do jeito esperado, e acabaremos apodrecendo como qualquer matéria viva sem vontade.
Simplesmente as situações propostas na minha vida se tornam mais enfadonhas cada dia que passa, minha matéria viva e desperta ignora meu lado racional que me alerta da inevitabilidade das situações, e eu só posso ser cada vez mais silenciosa e taciturna.
Sinto falta daquilo que eu era antes, da minha inocência à maldade do mundo em si e das pessoas que o habitam, além da do próprio destino, que parece rir de nós, meros humanos, por acharmos que a felicidade pode ser mais do que algumas risadas falsas esparsas durante um jantar, e ao chegar em casa dolorosas lágrimas sobre a ironia da dor em si...
Triste? Deprimente? Bom, eu conheço uma pessoa que sabe exatamente qual lado meu é responsável por escrever algo assim. O veneno da cobra que desce de minhas presas e inunda meus lábios. Acho que antes eu era apenas uma serpe inócua, agora que cresci criei tóxico pra me proteger... Andando à noite `sa procura do próximo buraco, me escondendo nas minhas próprias trevas...
Borboletas para sempre,
Lívia

domingo, outubro 03, 2010

Prece

Deus,
sei que está me escutando.
Eu queria agradecer por estar viva e sorrindo, apesar de sofrer;
por ter quem eu amo vivo e sorrindo também;
por me capacitar fazê-los felizes de vez em quando, pra poder desfrutar do seu sorriso e sua alegria;
por me dar aquilo que eu preciso e o que eu não preciso;
por me dar a oportunidade de possuir aquilo que eu ainda não tenho...
Queria pedir desculpas por ser tão humana e falha,
como quando eu não escuto as Suas palavras na boca das pessoas, nos sorrisos e nos conselhos;
quando eu não sou compreensiva com os erros dos Seus filhos como o Senhor é com os meus;
quando eu me omito ao amor ou à caridade apenas pela conviniência;
quando eu mergulho na escuridão e me esqueço que o Senhor sempre me dá uma luz, nem que, para mim, seja pequena.
Queria pedir também Sua ajuda para ser mais compreensiva e amorosa com meus irmãos, todos eles;
para aprender a amar cada pequeno pedaço de mim mesma, e assim, aprender a amar mais o outro;
para nunca me esquecer que, por mais difícil que seja a tarefa, eu ainda tenho o Senhor como meu professor para me ensinar a fazê-la;
para proteger a quem eu amo, porque não consigo fazer isso sozinha;
para a cada dia aumentar o tamanho do meu amor, aumentando o número de pessoas a quem eu amo,
e o principal: Me ajude a não esquecer nunca quem eu sou e quem é o Senhor, porque são as duas informações mais preciosas da minha vida. Sem elas estaria perdida.
Sua filha que tenta te amar direito,
Lívia.

Borboletas para sempre.

Sinceridade

Um amigo meu me mandou esse questionário, porque ele disse que meu blog tava muito deprê... XD

Um cantor: Jack Johnson
Uma cantora: Leona Naess
Um ator: Johnny Deep
Uma atriz: Audrey Hepburn
Um ídolo: Minha mãe
Um defeito: Timidez
Uma qualidade: Carinhosa(?)
Dois amigos(tive que adaptar essa): Tato e Brunno
Duas amigas(também tive que adaptar essa): Prii e Rosy
Um livro: Clarissa
Uma música: Muitas, principalmente Lilly Allen, Marron Five, Jamie Cullum, The All-American Rejects e os outros cantores já citados...
Uma paixão: Várias. Todas ligadas a artes(música, pintura, teatro, livros... tudo)
Uma necessidade: Comer.
Um amor: Segredo.
Um segredo: Eu não sou nem um pouco do jeito que você imagina...
Uma verdade: Eu não preciso te amar ou até mesmo gostar de você para ser gentil e educada com você.
Uma mentira: É muito legal ser alta.
Beijo: Apaixonado, longo e intenso.
Selinho: Falta de atitude.
Abraço: Gentileza
Ódio: Não existe quem mereça.
Pra te conquistar: Tem que ser diferente de todos, ser gentil e ter brilho.

Até que foi divertido ser sincera.

sábado, outubro 02, 2010

Defeitos?

Eu sou careta, muito.
Desculpa se eu não fico com você só porque estamos solteirose héteros numa boate, você pode ser lindo, mas eu não sou esse tipo de garota.
Desculpa se você tem ciúme de mim, mesmo que a gente nunca tenha ficado, mas eu gosto de me sentir livre, mesmo que não use essa liberdade pra nada...
Desculpa se eu não gosto de iludir você, porque eu gosto de você ou simplesmente porque eu não quero te magoar.
Desculpa por ser tímida, tanto que não consigo olhar pra "alguém" sem ficar, no mínimo, vermelha.
Desculpa se eu sou teimosa, por te querer mesmo você não me querendo.
Desculpa, principalmente, por não sentir culpa alguma por isso, e assim invalidar qualquer desculpas que eu esteja dando aqui. Mas eu sou assim, goste ou não eu sou assim, eu sou teimosa, tímida e antiquada, e não creio que vou mudar por nada.
Mas se eu fosse você eu dava uma olhada por trás de tudo isso, porque já me disseram uma vez que eu sou mais legal quando se conhece...

Borboletas para sempre,
Lívia.