terça-feira, novembro 23, 2010

'Se coloque' no seu lugar!

Seu tolo coração te diz que ainda te quero...
As pessoas tolas lhe dizem que ainda te quero...

Não creia nelas, creia em mim, que sou mais tola que todas, mas esperta o suficiente pra saber:
Não te quero mais.
Seus olhos já não brilham nos meus,
sua boca já não é mais vermelha,
seu sorriso me é indiferente
e eu jamais preencheria minha boca com a sua língua....

Como diz uma grande amiga minha:
'Se coloque' no seu lugar!

Sendo extremamente sincera...
Borboletas para sempre,
Lívia.

quinta-feira, novembro 18, 2010

Verdades sobre a profundeza de um oceano negro.

Eu sou um ser humano semi-deplorável, com as partes negras à solta, me lembrando que sou fraca e repulsiva.
Que eu brinco com seus sentimentos como com dados coloridos de Monopólio, e em alguma das minhas crises infantis, eu jogo no chão com força e quebro em milhares de pedaços, porque eu penso que posso arrumar outros quando quiser...
Você não merece isso, nada disso.

Sou a criança birrenta, menina-mulher que se perde em suas próprias fantasias pueris, como diz Porto.
Sou uma alma de mulher cruel, que dança como rameira diante dos teus olhos apenas para ter o prazer de cuspir em seu sorriso.
E a cada passo que dou, perco um pedaço a mais da minha parca humanidade, um pouco mais da minha consciência...


Me perco no meu próprio vazio...

quarta-feira, novembro 17, 2010

Linhas...

Fazia tempo que eu não lembrava o quanto eu era feliz com você...
O quanto seu sorriso me deixava alegre.
O quanto eu perdi quando você se foi.
Acontece que você levou um pedaço do meu coração, e me deixou com o seu.
Apesar de eu amá-lo ter aqui, ele não repõe a minha parte perdida...

Me lembrei hoje de você, e percebi meu egoísmo.
Você me deu seu coração inteiro, e provavelmente não usa o meu para não machucá-lo, então deve viver como um zumbi, às portas funestas do cemitério dos amores perdidos.
E eu aqui, reclamando de uma dorzinha...
Desculpa por isso.
E é por isso q eu te envio teu coração de volta, e te peço que não devolva meu pedaço.
Como uma prova de amor à você, junte de novo o seu ao meu, e se sinta como eu me senti por tanto tempo...
Completa...
E muito em breve eu juntarei nossos sorrisos, sorrisos de um amor altruísta, como você, como seu dono...

quarta-feira, novembro 10, 2010

Blá bla blá!

A Kesha...
Bom, ela é incrível...
Ela é linda, legal, divertida, não se preocupa com a opinião de niguém...
Ela é simplesmente todo o meu lado mal, só que bom...
Mas não creio que um dia se eu chegasse vestida e agindo feito ela num hospital eu seria bem vista...
E é isso que me entristece... Só um pouco, porque afinal, fora do hospital e com meus amigos eu posso ser quem eu quiser, não é?
Borboletas para sempre,
Lívia?

Deixe as letras falarem por mim...

"Você se sente tão só e imperfeita
Você deita aqui quebrada e despida
Meu amor está
Apenas esperando
Para vesti-la em rosas vermelhas"
 
"Eu sou o filho
Eu sou o herdeiro
De uma timidez que é criminalmente vulgar
Eu sou o filho e herdeiro
De nada em particular

Você cale a boca
Como você pode dizer
Eu faço as coisas do modo errado?
Eu sou humano e preciso ser amado
Assim como todo mundo faz.
"

"E no decorrer dos meses
Já não sei mais nem quem sou

E a pessoa

Refletida
No espelho
Dos seus olhos
Por onde foi que entrou?

E se você não me quiser

Eu vou respeitar, eu vou
Vou no duro
Mas saiba que sou um homem só
E que o meu amor
É puro
"
 
Deixe as letras falarem por mim...
E que cada gota de suor e lágrimas, que eu colocar em palavras,
te mostre que no fundo desse poço escuro, tem uma pessoa se afogando.
Só se agarrando na bóia.

Borboletas para sempre,
Lívia.

segunda-feira, novembro 08, 2010

Tédio

Falta emoção boa na minha vida...
Tanto é que estou aqui, sem idéia para escrever algo criativo...
É, minha vida anda um tédio...
Borboletas para sempre,
Lívia.

domingo, novembro 07, 2010

Desabafos desta escritora

Sinto que me faltam sentimentos...
Esse não sentir é o que me faz sofrer...
Em cada frase que eu escrevo,
Falta um pouco do doce do prazer.

Como um som desafinado de um violão
ou um quadro borrado,
sinto que em minhas palavras
faltam alguem tipo de agrado.

Sinto minhas palavras se perderem,
como um mudo num mundo de cegos.
Eu aceno e tento explicar
mas tudo está demasiado quieto.

Tudo que está aqui dentro,
deve ser posto pra fora.
Mas isto parece que não quer sair,
que está preso a um agora.

Cada dia que se passa,
fico mais preocupada.
Com cada linha que eu escrevo
e não consigo dizer nada...


Não sei se é por covardia,
ou se é por falta de prosaica.
Mas cada dia mais vou tentar,
dizer o que pensa esta mente arcaica.

sábado, novembro 06, 2010

Essa música é que eu canto melhor... Também é a única que eu canto até o fim...

Tô com saudades de você, debaixo do meu cobertor
De te arrancar suspiros, fazer amor
Tô com saudades de você, na varanda em noite quente
E o arrepio frio que dá na gente
Truque do desejo
Guardo na boca, o gosto do beijo.
Eu sinto a falta de você, me sinto só

E aí?
Será que você volta?
Tudo à minha volta é triste
E aí?
O amor pode acontecer de novo pra você
Palpite

Tô com saudades de você, do nosso banho de chuva
Do calor na minha pele, da língua tua
Tô com saudades de você, censurando o meu vestido
As juras de amor ao pé do ouvido
Truque do desejo
Guardo na boca, o gosto do beijo
Eu sinto a falta de você, me sinto só,

E aí?
Será que você volta?
Tudo à minha volta é triste
E aí?
O amor pode acontecer, de novo pra você
Palpite

http://www.vagalume.com.br/vanessa-rangel/palpite-2.html#ixzz14Xee8P