quinta-feira, maio 26, 2011

Só um beijo

A tua boca estava tão perto da minha...
Teus cabelos balançavam ao vento, se misturando aos meus.
Sua respiração era rápida e descompassada, assim como a minha.
Meu coração batia forte, e parecia impedir qualquer oxigênio de chegar à meus pulmões, parecia se tornar uma onda, uma energia direcionada a você.
E tudo o que eu queria era chegar mais perto, te tocar.
Seu rosto, teus olhos, teus lábios... Então delicadamente eu me aproximo. Seu rosto exalando ânsia, medo e muito desejo.
Havia algo com que eu não contava... Teus sentimentos.
Não sabia que eram tão intensos a ponto de me enlaçar antes que eu te tocasse, me causando arrepios em cada lugar que entrava em contato comigo. Um abraço apertado, quase sufocante, e você entre mim e o mundo.
Havia algo intenso no modo em que nós expremíamos nossos lábios, mesmo cerrados... Sua pouca experiência em beijos era compensada pelo prazer que me dava sentir seu rosto colado ao meu... Sua boca quente sobre a minha.
E por um instante, você precisou respirar... Então me aproveitei disso para deslizar minha língua com a sua, e até meus sapatos de borracha não puderam conter o choque que senti nesse momento.
Agora você era o ar que eu precisava, as energias que eu não tinham estavam todas dentro de seus lábios... Aqueles lábios tão doces e macios, que continham aquela língua tão quente e deliciosa...
Depois de alguns minutos, que passaram rápido demais, nos separamos alguns centímetros, e eu só pude proferir um 'nossa!'. Jamais esperaria que aquele garoto quieto pudesse ser tão... Intenso. Se bem que pelos olhares, os gestos... De certa forma eu sempre soube. Todos esses pensamentos tão rápidos duraram apenas o tempo em que proferi o 'nossa!', então você me olhou com fogo, com calor, e tomou meus lábios novamente, me fazendo derreter em ti.

quarta-feira, maio 11, 2011

Meras Metáforas Marcantes

Muito mudei mas mantenho-me a mesma.
Malgrado o mau-elemento mesquinho que me mantém imutável.

Minuciosamente misturei momentos marcantes e maravilhosos.
E milagrosamente mascarei mal-feitos e maldades.
Mas mesmo melhorando, o mundo me amaldiçoou.

Melhor morrer
Mas morrendo me manteria meramente o medroso
E muito do mencionado modificaria-se em mentira.

Mudei, mas mantenho-me maestro de minha metáfora mor.
Madrugadas em monotonia me modificam, me mutam.
Maravilhas que moldam minha medula.

Minha metáfora mor?
Meu eu.
Me perdoe o sarcasmo e a ironia.
Sou apenas muito metida e menos modesta.
Mas a maravilha do mundo é a multiplicidade.
Ou não é?

domingo, maio 08, 2011

Love Drunk

Acho que já faz algum tempo que eu decidi mudar...
Eu tentei deixar esse meu lado ruim pra trás...
Mas o que aconteceu?
Bom, algumas coisas aconteceram comigo, coisas tristes, até cruéis de certa forma... Então...
Agora eu decidi que não tô nem aí pra uma certa situação!
Vamos pregar o mal?
^^
Poisé, the evil old Livia bitch is back!
And she's craving for a little good-old-tasty blood!
^^