segunda-feira, julho 25, 2011

Retrato

Sento nesse chão frio do meu quarto, minha pele nua apenas coberta por minhas roupas íntimas reclama do contato gelado, mas eu apenas ignoro o incômodo.
A Lua está tão linda... Parece que seu brilho e tamanho tentam ofuscar o sorriso branco que eu vejo na foto.
Tudo parece tão lindo e feliz na imagem... O sol brilhando ao fundo e o casal se abraçando e sorrindo pra foto. A garota mantém um sorriso feliz e meio bobo, olhando para a câmera e fazendo uma pose enquanto morde o lábio, provavelmente uma tentativa fracassada de cortar a inocência do sorriso e do olhar... O rapaz simplesmente sorri inclinando a cabeça em direção á garota, o braço enlaçando gentilmente a cintura dela, e evitando que ela caia pela posição dos dois. Ela parecia testar a gravidade, se inclinandoe jogando o braço em direção ao chão, se mantendo em pé apenas or causa do braço masculino em sua cintura. Do lado dela ele parecia completamente despreocupado, mas pra quem conhecia, sabia que aquele nariz franzido demonstrava a preocupação na hora, e pra quem estava lá, sabia que depois do 'clic' ele havia puxado ela e pedido pra ela ter cuidado da próxima vez e relembrando à ela que um baque poderia causar no mínimo uns hematomas.
Então eu fiquei observando aquela imagem... A pura descrição de felicidade. Uma lágrima escorreu pelo meu rosto, logo acompanhada de outra, e mais outra, e mais outra... Então eu já estava encharcada, olhando aquela bela imagem. O chão frio agora parecia mais frio, e meu quadril já estava dormente pelo contato, mas eu me recusava a me levantar dali, ou até mesmo me sentar no tapete a poucos centímetros adiante... Eu queria chorar e chorar... Queria ligar pra você, te dizer 'Eu te amo' e ficar ouvindo sua respiração suspresa e alegre pelo fone, depois de alguns segundos escutar um 'Eu te amo' de volta, então sorrir e ficar me lembrando qual era o seu gosto, qual a sensação do toque da sua pele, o calor da sua respiração batendo contra mim, seu cheiro, sua voz, falar coisas bobas pra você enquanto olhava essa foto... Olhar para o seu sorriso e dizer que sinto falta de você aqui do meu lado, me abraçando...
Mas não há mais nada que possa ser dito, não existem mais abraços, beijos, nada mais... Só existem agora essas fotos e minhas lembranças, além de algumas palavras que você se deixou escrever pra mim... Só existe agora esse meu vazio, essa minha vontade de me sentir dormente, assim como meu quadril... A vontade de chorar e me deitar nesse chão frio... Na verdade, a vontade de não fazer nada, de tirar essa dor de dentro de mim...
A vontade de não sentir falta de você é tudo que me sobra...

quinta-feira, julho 21, 2011

Roubando minhas palavras aos poucos

Havia algo de tão tolamente divertido em soprar seus cabelos e vê-los se bagunçar em seu rosto... Algo realmente divertido...
Havia algo de tão tolamente divertido em te ver curioso sobre algo que eu estava pensando... Algo realmente divertido...

Havia algo de tão simplesmente lindo em te ver concentrado fazendo as coisas...
Havia algo de tão simplesmente lindo em te ver falando sobre mim aos outros...

Algo de insanamente apaixonante em ouvir tua voz...
Algo de insamente apaixonante em ver teu sorriso...
Algo de insanamente apaixonante em ver você naqueles momentos de glória e postura...

Perdidamente sexy no jeito que você cora...
Perdidamente sexy no jeito que você suspira...
Perdidamente sexy na textura e calor da tua pele...
Perdidamente sexy no jeito que você me abraça forte pra me beijar...

Nos seus beijos doces e possessivos...
Na sua respiração na minha boca...
Nos seus braços apertando minha cintura...
Nas suas mãos passeando pelo meu corpo...
Nos seus dentes delicadamente mordendo meus lábios...

Porque em certos momentos você apenas me rouba as palavras...

terça-feira, julho 19, 2011

Então tudo se transformou numa bola, e eu acho que estou perdida no meio dela... Eu tenho certeza que eu estou enganada, e que vou acabar vendo isso eventualmente... Só que por enquanto eu me sinto incomodada, um ligeiro beliscão no meu coração...
Mas, como eu disse, isso passa...

Diário de um flerte

Foi difícil te encontrar aqui, afinal eu não estava te procurando...
Na verdade, se pensar bem, até que foi fácil, já que eu não estava te procurando...
Tem algum tempo que eu queria fazer isso... Dançar na sua frente, sabendo que você está me olhando, intocável, tão perto e tão longe...
Então por um instante, eu me viro, e deixo que você me veja de frente, completa, sem retribuir seu olhar, sem você saber que eu estou te vendo...
Sei que isso tudo é errado, mas eu adoro a sensação de seus olhos percorrendo minhas curvas enquanto eu rebolo ao som da música...
E só posso pensar que aqueles minutos intermináveis que você me encarou, esperando uma olhada de volta, tenham sido tão prazerosos e torturantes pra você, que se tornem inesquecíveis...
E mais uma coisa?
Eu te superei...
Não quero mais nada com você...
Afinal eu nunca fui muito de amarras... Mas bem que eu poderia te beijar de leve, se você não fosse tão complicado...
E agora que toda a vontade passou eu... Eu acho que achei o seu amigo gato... Me apresenta?

terça-feira, julho 12, 2011

Tatuagem

É estranho sentir isso...
Às vezes é como se tivéssemos vivido uma vida inteira, mas só foram alguns anos...
Vejo os casais e me sinto uma idosa dando conselhos... Como se eu já tivesse vivido uma longa vida de romances com você, como se aqueles anos fossem um romance de frente pra trás...
Não que eu tenha esquecido o sabor dos teus lábios, ou o calor deles no meu pescoço... Disso eu acho que nunca vou esquecer, é realmente impossível.
Pelo contrário... Me lembrar de nós dois juntos, das fotos bobas que tiramos, dos sorrisos trocados, daquela guerra de bolas de neve... Do jeito que só você sabia me abraçar, de como seu cabelo cheirava bem...
Essa saudade nunca vai passar, infelizmente, e eu vou te amar pra sempre... Mas eu acho que já aprendi a abrir meu coração pras outras pessoas, e talvez algum garoto entre um dia e ocupe um espaço parecido ao que você ocupou... Mas não fique com ciúmes, afinal eu disse que ele ocuparia um lugar parecido, e não que te substituiria, porque isso nunca vai acontecer.
E a partir desse ponto eu declaro que... Mesmo sabendo que você pode ficar com raiva, ou triste, de onde você está... Finalmente, depois de todos esses meus anos de vida, sinto que posso deixar outra pessoa fazer parte da minha vida e ser feliz com isso... Então... Se você esá com raiva onde estiver, só quero te dizer que te amo, e isso nunca vai mudar, mas eu cansei de sofrer... Sei que você também sofre, mas eu espero que você me ame o suficiente pra querer me ver feliz de novo...

Borboletas para sempre,
Lívia.